Mais instituições e entidades dos movimentos sociais e sindicais se unem ao Seminário Carajás 30 Anos

Em reunião com a Coordenação do Seminário Internacional Carajás 30 Anos, representantes da Central Sindical e Popular CSP-Conlutas (nacional e estadual/Maranhão), do Sindicato dos Bancários do Maranhão e da Apruma (Seção Sindical do Andes - Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior), que representa os professores da Universidade Federal do Maranhão, receberam informações sobre a programação e estrutura do Seminário e puseram-se à disposição para somar esforços para a realização do evento, que reúne universidades, pesquisadores, estudantes, militantes sociais e comunidades para discutir os trinta anos de efeitos da implantação do Programa Grande Carajás nos territórios da Amazônia oriental, bem como os processos de resistência ao logo desse processo.

 

Para Eloy Natan, do Sindicato dos Bancários do Maranhão (Seeb/MA), esse é um evento que aproxima academia e os movimentos sociais, proporcionando que estes apresentem suas pautas, especialmente em relação às consequências da mineração no país. Ele se disse disposto a colaborar para que os sindicatos, em especial os filiados à CSP-Conlutas (como Seeb, Apruma, Sinasefe Monte Castelo e Sintrajufe) estejam presentes ativamente no Seminário.

Estrutura - Eloy Natan pôs ainda à disposição do Seminário Internacional a estrutura do Seeb, que conta com um conjunto de alojamentos nos quais participantes do Seminário Internacional poderão ficar alojados durante a realização da Etapa Final, em São Luís.

Também o Programa Bancários Em Ação, que vai ao ar duas vezes por semana na Rádio Educadora do Maranhão (560 KHz), às terças e quintas-feiras às 11h, tem duas edições especiais dedicadas ao Seminário: a primeira foi ao ar nesta terça, dia 18 de março, e a próxima, na quinta-feira, dia 20.

Professores em ação

Para o professor Rosenverck, a Apruma "tem todo o interesse em participar, contribuir e ajudar a construir o Seminário", o que foi reafirmado pela professora Cláudia Durans, da CSP-Conlutas, da Apruma e do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal do Maranhão.Por sua vez, ela ressaltou a articulação internacional que vem sendo feita na construção do seminário (apresentada pela Coordenação do Seminário), e que pode ser ampliada, dispondo-se a contribuir nesse sentido.

A ação dos professores já teve início, inclusive, incorporando-se ao Seminário Local de Santa Inês: o professor Welbson Madeira, da Apruma e do Departamento de Economia da UFMA, estará no seminário Local que mobiliza as regiões do Pindaré e do Alto Turi entre os dias 21 e 22 de março.

Para Zaira Sabry Azar, do MST, e professora do Departamento de Serviço Social da UFMA e do Grupo de Pesquisa em Serviço Social e Movimentos Sociais, ligado ao Programa de Políticas Públicas da UFMA, a entrada da entidade representativa da docência é de grande importância, podendo contribuir para estimular os estudantes a se inscreverem e a participar do Seminário. Ela ressaltou ainda o caráter do Seminário Internacional, que não é exclusivamente acadêmico, tampouco restrito à área de Humanas: podem se inscrever trabalhos de outras áreas, bem como dos movimentos sociais e das comunidades que se dispuserem a participar.

Saulo Arcangeli, das coordenações nacional e estadual da CSP-Conlutas e do Sintrajufe/MA, classificou a realização do Seminário Internacional como um "processo importantíssimo", cujas discussões perpassariam assuntos como privatização da Vale, Dívida pública, e os códigos da Mineração e Florestal. "O mundo vai estar colocado aqui", ressaltou.

Dessa forma, aos parceiros elencados até agora na construção do Seminário Internacional Carajás 30 Anos, somam-se entidades como Apruma, Bancários do Maranhão, CSP-Conlutas, que juntam-se a instituições e parceiros como os que seguem:

Coordenação:

Cáritas Brasileira Regional Maranhão

Forum Carajás

Grupo de Estudos: Desenvolvimento, Modernidade e Meio Ambiente (GEDMMA-UFMA)

Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST)

Rede Justiça nos Trilhos (JnT)


Promoção:

Centro de Educação Pesquisa e Assessoria Sindical e Popular (CEPASP/Marabá)

Comissão Pastoral da Terra Pará (CPT/Marabá)

Comissão Pastoral da Terra Maranhão (CPT/Maranhão)

Comissão Pastoral da Terra (CPT/Pará)

Conselho Indigenista Missionário (CIMI)

Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional (FASE)

Grupo de Estudos em Desenvolvimento, Política e Trabalho (GEDEPT/UEMA)

Grupo de Estudos, Pesquisa e Debates em Serviço Social e Movimento Social (GESERMS/UFMA)

Grupo de Pesquisa em Mídia e Jornalismo (Gmídia/UFMA-Imperatriz)

Instituto Amazônia Solidária e Sustentável (IAMAS)

Jornal Vias de Fato

Missionários Combonianos – Brasil Nordeste

Movimento Debate e Ação - Marabá

Núcleo de Ciências Agrárias e Desenvolvimento Rural (NCADR/UFPA)

Observatório de Políticas Públicas

Observatório Sócioambiental do Sudeste Paraense

Programa de Pós Graduação em Serviço Social (PPGSS/UFPA)

Programa de Pós-Graduação em Agriculturas Amazônicas (PPGAA)

Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais (UFMA)

Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional e Socioespacial (UEMA)

Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA)

Sociedade de Defesa dos Direitos Sexuais na Amazônia (Sodireitos)

Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH)

Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos (SDDH)


Parceria:

Articulação Internacional dos Atingidos pela Vale

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)

Fundação Rosa Luxemburg

Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (IBASE)

Instituto de Políticas Alternativas para o Cone Sul (PACS)

Justiça Global

Movimento pelas Serras e Águas de Minas

Rede Brasileira de Justiça Ambiental (RBJA)

 

Apoio:

CNPq

FAPEMA

FHTA

FNS/CNBB

IBASE

IFMA

UEMA

UFMA